Páginas

agosto 14, 2009



O Circo Nacional da China está de volta ao Brasil e a nova turnê passa por Teresópolis com espetáculos de 14 a 16 de agosto. Confira trechos da apresentação da última sexta no vídeo abaixo:

video

Reconhecido mundialmente pela performance de excelência, o grupo estreia o espetáculo Piratas com 40 artistas de 11 a 35 anos. Os chineses mostram acrobacias, saltos e malabares, desafiando limites e aliando fundamentos da arte milenar a inovações possibilitadas por técnicas modernas de desenvolvimento físico.

Produtor argentino responsável pela circulação do circo na América Latina, Genaro Press adianta que a tradição continua sendo a essência da companhia. Embora cada espetáculo propicie emoção, não é o novo que interessa à trupe, mas a capacidade de comover a partir de movimentos e desafios ensinados pelos ancestrais. Isso os distingue de outros grupos. Os artistas do Circo Nacional da China parecem ter a história dessa arte milenar registrada nos movimentos”, afirma o produtor.


De alguma maneira, ele observa, a memória dos circos orientais está registrada nas montagens. “É um tipo de informação que fica no corpo dos integrantes. Eles repassam esse jeito de lidar com a arte de forma única, muito própria da cultura do país”, reforça. Piratas estreou recentemente na China e vai ser apresentado em 25 cidades brasileiras, além do Peru e da Argentina. O espetáculo recria aventuras de piratas em alto-mar. As cenas são compostas por números de elasticidade, contorção, acrobacias de solo e aéreos, além de coreografias e efeitos especiais que destacam as habilidades dos artistas.

“Eles são muito dinâmicos, o que torna cada apresentação realmente distinta. Cada dia é uma surpresa, a reação do público conta bastante para o resultado”, comenta o produtor.SEIS HORAS Artistas com preparação de atletas, boa parte dos meninos e meninas se incorporou à companhia com menos de 6 anos. Eles se exercitam diariamente por cerca de seis horas, de segunda-feira a sábado, com treinamentos que incluem atividades de aquecimento, força e estiramento. O rigor e a constância na preparação são notados no palco. Os novos números, explica Genaro Press, só podem ser consolidados em pouco tempo graças à experiência acumulada em anos de exercícios contínuos. “O que muitos levariam anos para conseguir, eles realizam em pouco tempo. Tudo preparado em relação ao nível de desenvolvimento e habilidade, com metas de superação que os deixam ainda mais estimulados”, diz Press. Na China, o grupo conta com 150 artistas regulares.

Para ser incorporado à companhia, não é necessário conhecimento prévio, mas as crianças precisam demonstrar habilidade e disposição de conciliar estudos regulares e as atividades. “Quem consegue a vaga se sente orgulhoso de ter sido escolhido e de representar seu país”, diz Press.Há três anos o argentino trabalha com o Circo Nacional da China.

Genaro Press conta que o grupo tem público cativo na América Latina, sobretudo no Brasil. Ano passado, ele se apresentou no país de fevereiro a junho. Este ano, a nova montagem foi vista por cerca de 200 mil pessoas.

Flagrante

Em tempos de Gripe Suína, teve gente que preferiu ir ao espetáculo vestido a rigor:




Inri diz ser a reencarnação do Cristo. Vive em Brasília com seus discípulos e já debateu religião com o Toninho do Diabo.
O CQC enviou o Danilo Gentili para conferir a santidade em questão e o resultado dessa entrevista, você confere no vídeo abaixo:




Nenhum comentário: