Páginas

junho 25, 2009

A vida imita a arte ou a arte imita a vida?

Apesar do convite enviado para todas as secretaria do governo, poucos se interessaram em participar da plenária realizada para a avaliação do plano de metas e indicadores que foi apresentado pelo governo e avaliada pelo Movimento Nossa Teresópolis. A plenária aconteceu no auditório do CEAC na noite dessa sexta, 26 de junho.


Na ocasião foi explicado que a análise feita pelo Movimento Nossa Teresópolis não deve ser vista como crítica e sim como ajuda. Ela foi realizada pelos diversos grupos de trabalho do Movimento e visa somente aprimorar tudo o que foi apresentado pelo governo no seu plano de metas e indicadores.
Para cada setor, foi apresentado um contraponto que foi discutido pelo Movimento. Confira no vídeo abaixo, TUDO que foi apresentado pelo Movimento Nossa Teresópolis, NA ÍNTEGRA:

video

O destaque da noite se deu pela presença do Dr. Maurílio, Secretário de Saúde, que mesmo após ser "sabatinado" pelo Movimento após a coletiva que apontou os "indícios" milionários de fraudes no HCT, esteve presente, assistindo muito atento a toda a apresentação.

O mico da noite:

Na verdade o mico foi duplo na noite dessa última sexta. Primeiro pela ausência do Prefeito Jorge Mário, que apesar do grande interesse por todas as ações do Movimento durante a sua campanha, agora num momento chave, não esteve presente. O segundo mico foi cometido pelo Secretário de Planejamento, o sociólogo Sandro Gripp, que em dado momento discordou de uma avaliação, interrompendo assim a apresentação. Logo após a sua interrupção, foi-lhe explicado que todos teriam amplo espaço para se expressarem APÓS o término da apresentação em curso, por uma questão de organização. Minutos após, o mesmo secretário interrompeu a apresentação novamente e outra vez foi aconselhado a esperar o fim da apresentação para só então se manifestar. Visivelmente contrariado com as contestações, o Secretário se retirou da plenária. "Que papelão!" - comentavam as pessoas ao final do evento.

Os vereadores Waguinho e Cláudio Mello novamente estiveram presentes nos atos do Movimento, representando o Legislativo.A avaliação do Plano de Indicadores e Metas será encaminhada ao Executivo e Legistativo, bem como a imprensa. Esse foi mais um balde de água fria na cabeça daqueles que diziam que o Movimento Nossa Teresópolis servia como um braço do atual governo. O Movimento que é político, prova novamente que é apartidário e que visa somente a melhoria de vida do cidadão teresopolitano.
.
Participe dessa prova de amor por Teresópolis!
.
.
.
A Bebidas Comary é parceira do BADARTS

3 comentários:

Críticas & Comentários disse...

Não foi um "Mico", mas sim, falta de Educação. Não é papel de um Secretário Municipal.

Sandro Gripp disse...

Bom dia!!!

Não tenho por hábito ficar polemizando com os veículos de comunicação, por entender o papel dos mesmos em expor os mais variados pontos de vista e permitir a população o contraditório. No entanto, por respeito à história e a importância deste espaço que aprendi a admirar pela independência e irreverência com que trabalha as informações. Características que fizeram do Bandarts uma das mais importantes trincheiras na busca por uma cidade mais justa e democrática. Sinto a obrigação de esclarecer alguns fatos:
1 - acredito na democracia e na possibilidade de construir sobre o construído, um dos lemas do Movimento Nossa Teresópolis e fui ao evento com esse espírito;
2 - acredito que críticas gratuitas e deboche não levam ao fortalecimento da democracia;
3 - estabeleci uma intervenção (SOMENTE UMA, a outra foi feita por um integrante do Movimento Sr. Paulo Troncoso) e em função de um deboche feito a respeito de um assunto que infelizmente foi interpretado de forma errônea pelo Movimento e levou a ironia fora de lugar da apresentadora, não acredito no deboche como mecanismo para construção de uma cidade melhor;
4 - Tentei simplesmente esclarecer o erro e agi com respeito,pensei (talvez esse tenha sido meu erro)que o público presente (acho que umas 30 pessoas) não poderia ser induzido ao erro por uma interpretação equivocada. Meu espírito é o da construção coletiva e sem dúvida não me furtarei em participar dos mais variados debates. Deixei a reunião por sentir que o espírito (pelo menos de quem dirigia a reunião)não era o da construção coletiva e sim de uma critica gratuita.
5 - No entanto, me sinto na obrigação de me desculpar com o público presente, e aproveito esse veículo para isso. A sintonia entre movimento social e governo não passa pela aceitação inconteste das ações de cada um, passa pela construção de mecanismos de comunicação ou interação nos quais os dois possam expor seus pensamentos com respeito mútuo e maturidade.

Saudações Teresopolitanas. Continuem na luta e parabéns pelo ótimo trabalho.
Sandro Gripp

Sandro Gripp disse...

Bom dia!!!

Não tenho por hábito ficar polemizando com os veículos de comunicação, por entender o papel dos mesmos em expor os mais variados pontos de vista e permitir a população o contraditório. No entanto, por respeito à história e a importância deste espaço que aprendi a admirar pela independência e irreverência com que trabalha as informações. Características que fizeram do Bandarts uma das mais importantes trincheiras na busca por uma cidade mais justa e democrática. Sinto a obrigação de esclarecer alguns fatos:
1 - acredito na democracia e na possibilidade de construir sobre o construído, um dos lemas do Movimento Nossa Teresópolis e fui ao evento com esse espírito;
2 - acredito que críticas gratuitas e deboche não levam ao fortalecimento da democracia;
3 - estabeleci uma intervenção (SOMENTE UMA, a outra foi feita por um integrante do Movimento Sr. Paulo Troncoso) e em função de um deboche feito a respeito de um assunto que infelizmente foi interpretado de forma errônea pelo Movimento e levou a ironia fora de lugar da apresentadora, não acredito no deboche como mecanismo para construção de uma cidade melhor;
4 - Tentei simplesmente esclarecer o erro e agi com respeito,pensei (talvez esse tenha sido meu erro)que o público presente (acho que umas 30 pessoas) não poderia ser induzido ao erro por uma interpretação equivocada. Meu espírito é o da construção coletiva e sem dúvida não me furtarei em participar dos mais variados debates. Deixei a reunião por sentir que o espírito (pelo menos de quem dirigia a reunião)não era o da construção coletiva e sim de uma critica gratuita.
5 - No entanto, me sinto na obrigação de me desculpar com o público presente, e aproveito esse veículo para isso. A sintonia entre movimento social e governo não passa pela aceitação inconteste das ações de cada um, passa pela construção de mecanismos de comunicação ou interação nos quais os dois possam expor seus pensamentos com respeito mútuo e maturidade.

Saudações Teresopolitanas. Continuem na luta e parabéns pelo ótimo trabalho.
Sandro Gripp