Páginas

abril 28, 2008


CAVALGADA DE SÃO JORGE


Difícil vermos uma manifestação popular que esteja livre dos interesses políticos que reinam em nossa cidade. Assim aconteceu com a Cavalgada de São Jorge. Cabos eleitorais Tricanistas desfilaram pelas ruas da cidade durante o feriado sobre cavalos cagadores que presentearam os turistas com a inconfundível fragância do esterco equino que deixou o seu rastro por toda a extensão da Reta. Usando camisetas com o slogan da Tia Lu (epa, isso não é proíbido?) os cowboys do terceiro mundo mais pareciam extra-terrestres invadindo a cidade. Divertido para os cavaleiros, nem tanto para o povo que olhava desconfiado para a manifestação dos coronéis. Foram-se os cavalos, ficou a bosta e adivinhem quem limpou toda a merda Tricanista? A Prefeitura que eles tanto criticam.

Passado o desconforto olfativo, eis que a bosta respingou também da manchete dos jornais. Vejam só a pérola publicada no Jornal A Verdade do dia 26 de abril:


1ª cavalgada de São Jorge reúne centenas de cavaleiros.


Será que o cheiro de bosta afetou o raciocínio da turma do referido jornal? Seu redator, o tal de Gilberto "P.", só pode ser um fanfarrão. Ele precisa achar mais uns 50 redatores do nível para completar a primeira centena de cavalos.


VAI MENTIR PRO CAPETA!


FIM DA BAIXARIA É MATÉRIA NA REVISTA DA RCA


A revista da programação dos canais da RCA, trouxe uma matéria sobre o movimenro QUEM PATROCINA A BAIXARIA É CONTRA A CIDADANIA. Vale lembrar que a revista é distribuída em vários estados Brasileiros.

Resta saber se o tal argentino dono da RCA pretende cumprir a palavra e tirar do ar as emissoras à cabo da cidade que continuarem tratando os Teresopolitanos mortos como pedaços de carne a serviço de sua famigerada batalha pela audiência.


A TV TERESOPOLITANA É UMA MERDA!


Pai mantém filha presa durante 24 anos num porão


O engenheiro eletricista austríaco Josef Fritzl, 73, confessou ter mantido aprisionada sua própria filha, Elisabeth Fritzl, 42, em um porão sem janelas por 24 anos e também admitiu ser pai dos sete filhos que ela teve.


O caso veio à tona neste domingo, depois de a polícia ter prendido o suspeito e encontrado o porão onde ele mantinha a filha presa.
A investigação começou quando uma das supostas filhas dos dois, de 19 anos, ficou seriamente doente e foi levada ao hospital. Os médicos resolveram, então, apelar para que a mãe da menina aparecesse para fornecer mais detalhes sobre seu histórico clínico.
Elisabeth teria sido aprisionada pelo pai no dia 28 de agosto de 1984, quando tinha, então, 18 anos. Em depoimento à polícia neste domingo, ela disse que seu pai, Josef Fritzl, atraiu-a ao porão do local em que vivam. Antes de aprisioná-la, ele a teria sedado e a algemado.
A polícia disse que uma carta escrita por Elisabeth aparentemente apareceu um mês depois de seu desaparecimento. Ela pedia aos pais que não procurassem por ela. Abaixo, foto de Elisabeth aos 18 anos, pouco antes de ser aprisionada pelo pai.

Libertação

Em determinado momento, Fritzl teria libertado Elisabeth e dois dos filhos que viviam com ela no porão, dizendo à sua mulher que a filha desaparecida desde 1984 havia decidido voltar para casa. Após ter recebido uma pista, a polícia encontrou Elisabeth e Josef no último sábado (26), perto do hospital onde a filha de 19 anos estava sendo tratada. No dia seguinte, a polícia disse que os investigadores encontraram o local onde Elisabeth ficou aprisionada.
Elisabeth concordou em fazer um relato à polícia após receber garantias de que não teria outros contatos com o pai, que teria abusado dela desde os 11 anos.
Três de seus filhos, com 5, 18 e 19 anos, ficaram trancados no porão desde que nasceram e nunca viram a luz do sol. Os dois mais novos eram meninos e a mais velha, menina. As outras três crianças --duas meninas e um menino-- foram criadas por Josef e sua mulher.
Segundo a polícia, Fritzl também admitiu ter queimado o corpo de uma das crianças, após ela ter morrido logo depois de nascer. Segundo a rede de TV CNN, a criança que morreu era gêmea de outra que sobreviveu.


O cativeiro

Fritzl escondeu a entrada do cativeiro e somente ele sabia o código secreto para a porta de concreto reforçada, disseram oficiais. Algumas partes do local não tinham mais de 1,70 metro de altura.



As fotografias divulgadas nesta segunda-feira mostram uma estreita passagem ligando os ambientes que incluiam uma espécie de cozinha, um local para dormir e um pequeno banheiro com um chuveiro. Um cano fornecia a ventilação. Havia também uma porta à prova de som.
Um oficial local Hans-Heinz Lenze disse que era "muito, muito surpreendente" que outras famílias que moravam no local não tivessem notado nada. Lenze disse que os investigadores estão tentando determinar quanto de barulho era possível ouvir de fora do porão.
Lenze disse também que a mulher do suspeito, Rosemarie, aparentemente não "tinha idéia" do que estava acontecendo e que havia ficado inconsolável.


Abusos

Segundo Elisabeth, no anos que se seguiram após ter sido aprisionada pelo pai, ela foi constantemente abusada e deu à luz seis crianças. Em 1996, ela deu à luz gêmeos, disse a polícia, citando Elisabeth, mas um deles morreu alguns dias depois.
De acordo com a polícia, Josef e sua mulher disseram às autoridades que acharam aquelas crianças em 1993, 1994 e 1997.
Espera-se que testes de DNA determinem se Josef é o pai das crianças. Ela disse que conseguia comida e roupas apenas através do pai e que sua mãe não estava envolvida no crime.
O caso, que aconteceu na cidade de Amstetten, relembra o caso da também austríaca Natascha Kampusch que passou oito anos trancada em um cativeiro antes de escapar em 2006.


O Fantástico exibiu uma matéria sobre o caso. Segue o vídeo:



video



PÉROLAS da CÂMARA

Olha a pérola que o vereador Walmir Maturana soltou num jornal da cidade:


Jornal - Como vocâ avalia seu mandato de vereador?

Valmir - Tem sido bom, embora eu não tenha conseguido fazer tudo o que eu queria. Não está sendo possível em virtude do executivo estar passando momento difícil em relação a precatórios, não podendo atender pedidos desse vereador.

Bom, faço parte de ums dos bairros que são currais eleitorais do referido vereador e posso garantir que a rejeição ao mandato do vereador é unanimidade por aqui. Antes de ser eleito, Valmir frequentava o bairro, jogava bola e até arriscava umas cervejinhas com a rapaziada. Há mais de três anos ele abandonou seus hábitos de interação com o povão que o elegeu e a comunidade aguarda ansiosa sua tentativa de reeleição para pagar na mesma moeda. Quanto a desculpa dos precatórios, historinha pra boi dormir, né?

TV BRASIL RECEBE VOZ DE PRISÃO

A reportagem (sic) da TV Brasil mais uma vez recebeu voz de prisão ao dificultar o trabalho do Corpo de Bombeiros de Teresópolis. Todos foram parar na delegacia mas chegando lá chegaram a um acordo e a queixa não foi registrada. A BADARTS estava presente e registrou a conversa da equipe da TV Brasil com sua advogada e outros detalhes que merecem ser vistos... Segue o vídeo:

video







RONALDO E SUAS TRAVESTIS


Ronaldo "Fenômeno" foi acusado pelo travesti André Luis Ribeiro, mais conhecido como Andréa Albertine (à esquerda na foto), de não ter pago um programa feito na madrugada desta segunda.O episódio teria acontecido em um motel da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Andréa disse ainda que outros travestis também participaram da noitada e que ela teria saído do motel para comprar cocaína a pedido de Ronaldo. Como prova, Andréa levou até a delegacia uma carteira com documentos do atacante.

Ronaldo disse que saindo de uma boate resolveu esticar a noite num motel e que se encantou com as curvas da morena que estava pelas ruas à espera de um cliente. Ronaldo só percebeu que se tratava de um travesti quando já estavam no motel.


Falem o que quiser, mas Ronaldo ainda é um exemplo de superação.

Não é qualquer gordinho com "uma grave contusão no joelho" que dá conta de três travecos trincadaços.

Pensem nisso.

Abaixo, Ronaldo tece suas considerações sobre ocorrido numa matéria exclusiva do Fantástico:

video


http://kibeloco.globolog.com.br/

Nenhum comentário: